30 de dez de 2007

Começo a ficar surpreendido!

Este blogue foi criado para mostrar e partilhar a minha paixão pelas pedaladas, aproveitando para mostrar as coisas boas e más que se deparam a um ciclista amador como eu, ou a um outro qualquer, com um objectivo de fomentar a utilização da bicicleta pelo maior número de pessoas. Sei que se os artigos fossem publicados com fotos, ficariam muito mais apelativos, como é lógico. Assim me tornei num ciclista amador criando reportagens amadoras, acompanhadas de fotografias amadoras. Fico assim surpreendido por dois dos meus artigos terem já sido aproveitados para fins "políticos", um sobre um parque na Amadora e agora outro sobre Alvalade, em Lisboa.
Parece que a continuar assim acabarei por ter de mudar de emprego! Expresso, já vos mando o CV!!

29 de dez de 2007

Passagem rápida por Alvalade a caminho do Glorioso

Manhã de nevoeiro, dia soalheiro, já dizia o povão e não é que tem razão? Arranquei a meio da manhã em direção a Sete Rios sabendo que não faltaria muito para que o Sol aparecesse para aquecer este Sábado frio. Já pela ciclovia do Monsanto, o Sol apareceu fazendo evaporar a geada que cobria toda aquela zona da radial de Benfica, mas chegando a São Sebastião, o nevoeiro ainda era cerrado, quase uma parede branca! Pelo Saldanha tive de encostar num posto de abastecimento e retemperar-me com uma bica. Eis uma das vantagens de pedalar pelo interior das cidades ou locais habitados, há sempre uma bica quente pronta a ser bebida! E é só por isso, mas mesmo só por isso, que não me meto em pedaladas pelos montes como fazem meus camaradas de pedais! Por lá não há bicas quentes acabadas de sair da máquina! Continuei em direcção ao Instituto Superior Técnico, Londres, Roma. Reparem como Lisboa é enorme pois contém outras cidades europeias no seu interior!
Já por Alvalade tirei esta foto das laranjas e laranjeiras que estão por essas avenidas:

Laranjeiras

Dá vontade de apanhar algumas e comê-las, não é? Pois, mas não o façam! Fiquem-se pela vontade, porque são das amargas...
Segui para o Campo Grande para apanhar uma das únicas ciclovias que a Câmara de Lisboa mandou fazer. Hoje ela vai desde a Estação de metro de Entrecampos até ao terminal do Campo Grande. Estupidamente ridícula a quantidade de quilómetros de ciclovias em Lisboa, pois para além desta pistazinha de quilómetro e meio, só existe mais outra ciclovia digna desse nome desde Campolide até o Pina Manique. Já neste blogue falei numa ciclovia que viesse do centro da Amadora, Elias Garcia, Estrada de Benfica, Sete Rios, e que deveria ser feita a meias entre as Câmaras de Lisboa e Amadora. Mas isso é caro e mais vale gastar milhões de Euros em CRILs, Avenidas largas, tudo o que seja para aquelas coisas poluidoras de quatro rodas ou mais. Bicicletas não dão dinheiro para a Câmara em multas de estacionamentos, reboques, multas por excesso de velocidade nos locais com radar, e como tal são veículos a ostracizar.
Eis aqui uma vista da ciclovia do Campo Grande:

Ciclovia Campo Grande 3

Um pormenor que me chamou à atenção foi um trabalho camarário que está a ser feito entre a ciclovia e uns lugares de estacionamento. Ao abrirem um buraco para arrancarem uma raíz duma árvore, colocaram a terra para a ciclovia ao invés de a colocarem nos lugares de estacionamento. Acredito que não o fizeram de propósito mas porque no seu íntimo acham que é mais importante um ou dois lugares para os carros de que uma passagem para as bicicletas, é a mentalidade que temos...

Ciclovia Campo Grande 1

Ciclovia Campo Grande 2

Segui depois até ao fim prematuro da ciclovia no Campo Grande, junto ao Terminal:

Ciclovia Campo Grande 4

É pena, pois podia seguir pela Alameda das Linhas de Torres, mas concerteza que ficaria caro... Parte das culpas deste fim prematuro fica por conta deste enorme WC do Campo Grande:

Alvaláxia

Mas o que se pode fazer, se até o elevador cuja função é levar os impossibilitados de andar, para o topo do parque de estacionamento, está completamente estragado como se pode ver nas fotos abaixo:

Elevador destruído

Elevador destruído 2

Não quero me alongar mais com o Campo Grande e seus WCs, pois ainda acabam por deixar má fama neste blogue.
Avancei por Telheiras, saí junto ao Glorioso e aqui fica a melhor e mais importante foto deste post:

Estádio da Luz

Digam lá se esta imagem não vos toca logo no coração! Horas de almoço, aqui fica o habitual mapa do percurso e boas pedaladas!

25 de dez de 2007

Caselas

Para não perder o ritmo e como hoje (dia 24) tive tolerância, agarrei na burra e arranquei quase sem direção, acabando por optar descer via Alfragide, Jumbo e entrando em Caselas que eu não conhecia.
Um pequeno bairro escondido dentro do Monsanto, aparentemente sossegado. Daí arranquei para o interior do Monsanto, passando pelo centro Helen Keller, e logo de seguida fiquei com uma vista soberba de Alfragide, Outorela e arredores, tal como se pode ver nas fotos abaixo:

Monsanto 2

Monsanto 3

Continuei passando junto ao Caramão e pouco depois passei numa das poucas ruas fechadas ao transito automóvel no Monsanto, a estrada que vai para o Bairro da Boavista. Só assim se impede os carros de devassarem o nosso parque verde. Engraçada a preocupação em fechar as três ruas, que eu tenha conhecimento, para proteger o Monsanto e depois tivessem deixado construir aquela aberração volumosa da Universidade Católica destruindo vários hectares do Monsanto. Será que não havia outro local para construir aquela Faculdade???

Monsanto 4

Eis umas das ciclovias construídas pela Câmara de Lisboa no Monsanto, esta na estrada que vai para o Bairro da Boavista:

Monsanto 5

Foi uma voltinha pequena, apenas 11 Km, mas já deu para desentorpecer os músculos das pernas.

22 de dez de 2007

Podiam por isto nos placards da 2ª Circular...


Gamado do Pedaleiro

100 dias de bicicleta na cidade de Lisboa


Caríssimos utilizadores da bicicleta

O meu nome é Paulo Santos, tenho 34 anos e sou licenciado em Engenharia Civil, no ramo de Vias de Comunicação e Transportes, estando actualmente a frequentar o mestrado na mesma área. Nestes últimos 12 meses tive 3 experiências internacionais, de pesquisa e de trabalho (Holanda, Finlândia e Alemanha) que me permitiram desenvolver diversas capacidades na área das ciclovias em via urbana.

Encontro-me agora a preparar a minha tese de mestrado, tendo esta o tema "100 dias de bicicleta na cidade de Lisboa". Pretendo com este projecto ciclar efectivamente durante 100 dias na cidade de Lisboa, com início previsto para 1 de Janeiro próximo. O grande objectivo deste trabalho é o de desmistificar a cidade de Lisboa e as bicicletas como meio de transporte diário. Diversos estudos serão realizados no âmbito deste projecto, nomeadamente o estudo pormenorizado das diversas inclinações da cidade, larguras de passeios, infraestruturas necessárias de apoio à bicicleta e ao ciclista, zonas seguras ou não seguras, criação de um guia ao ciclista na cidade, etc ...

Quero acima de tudo ser mais uma voz a juntar à vossa, sensibilizando tanto a opinião pública, como os responsáveis pela gestão da cidade. O objectivo é o de criar o maior impacto possível na sociedade, sensibilizando-a para as enormes vantagens do uso da bicicleta como meio de transporte principal ou alternativo na cidade.

Visitem o meu blog e votem no inquérito

http://100diasdebicicletaemlisboa.blogspot.com/

Maiores cumprimentos.

Paulo Santos



Esta mensagem está no Massa Crítica e parece-me bem passá-la aqui neste bloguezeco.

15 de dez de 2007

Anfiteatro Keil do Amaral, Alcantara e Baixa, para aproveitar este Sol de Dezembro

Como as manhãs tem estado impróprias para pedalar, tal o frio que tem estado, optei por arrancar sem destino pela tardinha. Apontei para o Monsanto e daí para o Anfiteatro Keil do Amaral. Pedalei nas calmas pois estava uma excelente tarde para apreciar a paisagem. E nas calmas cheguei ao Anfiteatro onde tirei duas fotos, sendo a primeira da paisagem com a Ponte 25 de Abril ao fundo e a segunda onde se pode ver o aspecto do anfiteatro.

Monsanto 1

Monsanto 2

Aproveitei para banho à minha burra que andava necessitada. Pelos vistos a Câmara de Lisboa espalhou uma data de lavadores como este pelo Monsanto.

Lava-bicicletas

E apanhando o Sol da tarde encontrei um jovem ciclista com a sua amiga. Que sirva de exemplo para todos nós!

Jovem Ciclista

E foi por aqui que tive de decidir para onde deveria fazer o resto do percurso. Apontei para o Alvito e desci para a Ajuda, e ao passar pelo Estádio do Atlético tirei esta foto da Ponte:

Ponte 25 Abril na Ajuda

Até aqui cheguei, até porque foi quase sempre a descer. Meti-me pelo Calvário, Alcantara, percorri a Rua das Janelas Verdes, passei pelo Largo Santos e regressei uma vez mais à Praça do Comércio. Ainda nas Janelas Verdes, parei no jardim em frente ao Museu de Arte Antiga e captei estas duas imagens do porto de Lisboa e do Tejo:

Rio Tejo, Almada ao fundo

Porto Lisboa

Sinto imenso prazer de passear pela baixa, talvez porque quando passo de carro por aqui me sinta preso pois não posso parar, não posso estacionar, não posso apreciar. Subo de novo a Rua Augusta lotada de gente que procura incessantemente uma loja onde possa deixar o seu dinheiro. É o consumismo Natalício no seu melhor.

Rua Augusta

Nem toda a gente procura lojas para esbanjar a carteira, há quem procure ganhar algumas moedas. Eis um caso dum artista que desmente o Ronaldo num célebre anúncio, agora na versão: Parado rendo!

Parado rende!

Para quem não conheça (não faltam por aqui muitos visitantes brasileiros), eis o elevador do Chiado:

Elevador do Chiado

Subi até aos restauradores e passei pela entrada do parque de estacionamento dessa praça e, imaginem, estava cheio!

Estacionamento lotado

Buzinadelas, cruzamentos fechados, impaciência, desespero, raiva, são algumas das consequências que me apercebi no local. E por acaso estava em cima da solução mas estes concidadãos preferem sofrer...
E lá tive de regressar porque a tarde ia-se adiantando e os dias são pequenos. Deixo abaixo o percurso que ficou em 25 Km.

13 de dez de 2007

Tróia - Sagres

É este o percurso que os Zés das Bikes propõem já para este Sábado! Parece que é tipo promessa que tem de ser paga anualmente e como tal decidiram cumpri-la já este Sábado. Claro que eu estarei com eles! Em espírito. Até porque penso converter-me aos Adventistas do Sétimo Dia e eles proibem trabalho e outros esforços aos Sábados.
Mas deixo aqui o anúncio e quem quiser dar uma pedaladazita até Sagres, sempre à beira do Oceano Atlântico, percurso quase sempre plano e a descer (Sagres é lá embaixo, daahhh), tem agora uma boa oportunidade de o fazer!

7 de dez de 2007

Será a bicicleta duma loura?

2 de dez de 2007

Fofinhos de Belas

Apesar de ter a minha bina ainda dorida dos 30Km de ontem, não podia faltar a mais uma voltinha até porque desta vez tinha a companhia de outro ciclista da Amadora, o José Matos. Lá iniciámos o percurso na Estação da Reboleira e como não havia destino definido, embicámos para o Palácio de Queluz, percorrendo a maior estrada do país, a Elias Garcia. Foi num ápice que lá chegámos e apreciámos o facto de não estarmos sós nas pedaladas, pois muitos mais estavam a aproveitar este Sol outonal para pedalar ou correr.

Palácio de Queluz

Depois subimos em direção à Estação de Queluz-Massamá e ficámos com boa impressão do parque que está construído junto à ribeira que desce até ao Palácio. Como o meu parceiro não conhecia os famosos fofos de Belas, lá fomos para Queluz e depois para Belas. Aqui ficam umas fotos para vos deixar de água na boca! E garanto que estão deliciosos!

Fofos de Belas 1


Fofos de Belas 2

E depois foi o regresso, ficámos por quase 20 Km de pedaladas e concerteza, mais pesados após comer aqueles fofinhos. Fica aqui os dois nossos percursos quase iguais, o dele feito pelo GPS (modernismos) e o meu a papel e caneta...


1 de dez de 2007

Voltinha pra fazer uma ligeira rodagem aos pneus

Como na semana passada tive um ataque agudo de preguicite, este fim de semana decidi atacar uma volta maior pra desentorpecer a bicicleta. Não que eu precisasse, mas ela não pode perder a rotina de colecionar mais uns quilómetros para o seu historial. Comecei o percurso em Alfragide e segui para Carnaxide, passando pelo Hospital Santa Cruz e seguindo essa avenida até passar por baixo da A5 e entrar em Miraflores. Desci junto à central da Carris e cheguei ao Parque Urbano de Miraflores. Sem dúvida, uma boa surpresa! Ao contrário do Parque Aventura da Amadora, aqui as bicicletas não estão ao mesmo nível dos cães e podem circular, e gostei do pormenor do estacionamento de binas junto ao início do parque no lado sul.

Parque Urbano Miraflores

Parque Urbano Miraflores 2

Esta zona torna-se ainda mais apetecível pois tem pouca inclinação, seja para pedalar ou correr. Aliás, tem um circuito de manutenção junto à ribeira que atravessa este parque de norte a sul.

Parque Urbano Miraflores 3

Parque Urbano Miraflores 4

Nada de proibições!! É assim mesmo, mostra como se faz as coisas ao Raposo da Amadora, Câmara de Oeiras!

Parque Urbano Miraflores 5

E na saída encontro esta pequena ciclovia que julguei seguir para Algés, mas pouco mais metros tem...

Ciclovia em Miraflores

Descendo a Avenida dos Bombeiros Voluntários, já perto da rotunda de Algés encontro este caos automobilístico: carros quase parados querendo romper caminho para a rotunda, carros mal estacionados no centro da Avenida, por cima de todos os passeios para peões, em segunda fila, uma autentica selvajaria automobilística! É um País só para automóveis, tudo o resto que tenha menos que 4 rodas, não tem direitos nenhuns, incluindo a merda dos peões que só atrapalham.
Mas deliciei-me fazendo zigue-zagues por aqui fora e ainda encontrei 3 ciclistas do sexo oposto passeando, o que é sempre interessante.

Caos em Algés

Achei engraçado encontrar esta varanda transformada em estacionamento para binas! Uma bina pode ficar estacionada em qualquer lugar :)

Não tendo estacionamento, na varanda tambem serve...

E eis que chego a Algés, sem grande esforço, até porque foi quase sempre a descer. Mesmo parando várias vezes por várias razões, demorei apenas 45 minutos a chegar aqui.

Alges

Passei para o outro lado da linha do comboio e segui em direção a Belém. Não pude deixar de prestar homenagem àqueles que morreram nas lutas no Ultramar, lutando por Portugal. Já reparam na enorme quantidade de mortes desnecessárias devido à teimosia de Salazar?

Monumento aos Combatentes do Ultramar

Até me sentia um turista aproveitando a boa temperatura e o solinho que que se mostrava, tal como a miríade de "camones" que por ali circulavam. Aqui fica umas fotos dum dos ex-libris de Portugal.

Torre de Belém

Torre de Belém, miniatura

Avancei depois para outro monumento, o dos Descobrimentos, onde se tem uma bela vista do Mosteiro dos Jerónimos. Tal como a imagem do Rio Tejo, sempre belo.

Mosteiro dos Jerónimos

Rio Tejo em Belém

Após a antiga FIL, tirei esta foto à Ponte 25 de Abril, apanhando o Cristo Rei ao fundo. Acho bem bonito, ainda por cima fui eu que a tirei....

Ponte 25 Abril

E lá continuei a voltinha, agora em direção ao Cais do Sodré e ao Terreiro do Paço. Gosto de andar por ali, que se há-de fazer? Lá colocaram a iluminação natalícia do costume, muita gente às compras, turistas a tirarem fotos a tudo o que mexe ou que esteja parado.

Rua Augusta

Subi por esta avenida até ao Rossio, devagar para não atropelar esta mole de gente que parecia desesperada para gastar o 13º mes em compras para o Natal.
Passei por este condutor que acabou por manifestar-me o desejo de poder largar aquela carroça fumarenta e ter uma bina como a minha para andar pela cidade. Via-se que estava farto de se arrastar pela baixa com todo aquele transito. Deixei-o parado ali e continuei com a minha volta, agora em direção à Avenida da Liberdade.

IMAGE_151

Chegando ao Rock Cafe no antigo Condes, encontro este belo espectáculo:

Parque Estacionamento Restauradores

Os carros parados para conseguirem entrar no parque estacionamento subterrâneo dos Restauradores, até estava um funcionário no fim da fila afastando todos os automobilistas para não tentarem entrar. Além de ser bastante difícil circular de carro pela Baixa, nem lugares havia para estacionar. Uma autentica dor de cabeça para os automobilistas que resolveram ir pra ali fazer compras. Bem feito para eles! Reparem como eu estacionei o meu bólido:

Minha bina

Complicado, não é? Veneno injectado e lá segui para casa indo pela Augusto Aguiar e Benfica. Cá vai o mapa do percurso com 30 Km.