20 de out de 2007

Santa Apolónia - Expo

Hoje optámos por fazer o trajecto entre Santa Apolónia e a antiga Expo 98, agora Parque das Nações. E este novo nome assenta que nem uma luva, porque tem estado reunidos os vários países que constituem a União Europeia. E também disse "optámos" porque a minha cara metade está a apanhar o gosto pelas pedaladas e queria experimentar este trajecto, por ser bonito e plano. Transportei as burras para junto da discoteca Lux, ao lado da Estação de Santa Apolónia, e demos início aos 22 Km de pedalada. E tirando o desconforto do selim, tenho já anotado a sua substituição, foi uma maravilha. Bom piso mesmo sem ser ciclovia, boas paisagens, muitos ciclistas, bom tempo, boa companhia, que mais poderia querer?

Perto do início do Parque das Nações e fim da zona do porto de Lisboa, a estrada que é usada como ciclovia está fechada. Não é que seja problema, mas é sempre chato encontrar uma situação destas onde tanto ciclista passa!

Passagem fechada

Após passar esta cancela, é preciso descobrir a entrada quase secreta do Parque das Nações, que fica nas traseiras do stand da Audi, junto ao rio. É uma pequena passagem, com uma cerca de ferro, ao fundo do cais. Nem uma indicação ou seja lá o que for...
E entrando no Parque é como entrar noutro mundo, centenas de pessoas gozando o Sol, o ambiente,
praticando skate, jogging, pedalando é claro. Apesar de haver muitos bares fechados, ainda existe o encanto da antiga Expo 98.
Aqui o je e ao fundo, um edifício que albergava vários bares:

Bares fechados no parque das Nações

E mais umas imagens de ciclistas, do teleférico e atá da Ponte Vasco da Gama que tivemos o prazer de passar por baixo até à foz do rio Trancão.

Parque das Nações

Teleférico no Parque das Nações

Vista da Ponte Vasco da Gama

Junto à ponte, rodeando-a e passando por baixo dela, foram construidas várias passagens pedonais elevadas, que além de belas, são suficientemente largas para tanto passearem os peões como passarem as bicicletas. Excelente!

Pontes pedonais

Eu e a Vasco da Gama

Junto delas encontra-se a estátua da Catarina de Bragança, Rainha de Inglaterra, a tal que introduziu a moda de tomar chá no Reino Unido, parecendo apoiar os ciclistas que por ela passam.

Rainha de Inglaterra, Catarina de Bragança

Já no regresso, aproveitámos para nos refrescar nesta catarata, muito concorrida por sinal.

Catarata fresca

E como se tem tornado habitual, aqui fica uma imagem do google maps, do percurso de ida e volta que tão aprazível nos foi.



Huuummm, qual será o próximo trajecto?

6 comentários:

Renato disse...

Que lugar bonito! Vocês estão de parabéns.

Renato

RedTuxer disse...

Bonito mas custou-nos os olhos da cara! E agora andamos todos a pagar a conta....
Mas é um belo passeio, e não tão comprido como os teus 140 km que fizeste recentemente...

Marco disse...

Olha o RedTuxer!
Estou sempre a fazer esse percurso ao fim de semana. Começo em São João do Estoril e por aí fora até à Expo. Um dia temos de combinar um passeio de bike!

RedTuxer disse...

Claro que nunca experimentei um percurso tão grande como o que fazes, mas temos de combinar algo assim! Se o tempinho estiver jeitoso, este fim de semana será Guincho a Cascais ou Estoril e regresso. Até para saber se o novo selim não se incompatibiliza com o meu saco tomatal...

Marco disse...

Se vais à ciclovia do Guincho à tarde, ainda nos encontramos!

RedTuxer disse...

Conto com isso este Sábado! E como parece que no Domingo há um pequeno encontro ciclista no Monsanto, junto ao campo de tiro, devo ficar pela zona fazendo numero.
E como diz o meu Iceweasel, este Sábado estarão 21º e céu quase limpo, será sem duvida um bom dia...