1 de dez de 2007

Voltinha pra fazer uma ligeira rodagem aos pneus

Como na semana passada tive um ataque agudo de preguicite, este fim de semana decidi atacar uma volta maior pra desentorpecer a bicicleta. Não que eu precisasse, mas ela não pode perder a rotina de colecionar mais uns quilómetros para o seu historial. Comecei o percurso em Alfragide e segui para Carnaxide, passando pelo Hospital Santa Cruz e seguindo essa avenida até passar por baixo da A5 e entrar em Miraflores. Desci junto à central da Carris e cheguei ao Parque Urbano de Miraflores. Sem dúvida, uma boa surpresa! Ao contrário do Parque Aventura da Amadora, aqui as bicicletas não estão ao mesmo nível dos cães e podem circular, e gostei do pormenor do estacionamento de binas junto ao início do parque no lado sul.

Parque Urbano Miraflores

Parque Urbano Miraflores 2

Esta zona torna-se ainda mais apetecível pois tem pouca inclinação, seja para pedalar ou correr. Aliás, tem um circuito de manutenção junto à ribeira que atravessa este parque de norte a sul.

Parque Urbano Miraflores 3

Parque Urbano Miraflores 4

Nada de proibições!! É assim mesmo, mostra como se faz as coisas ao Raposo da Amadora, Câmara de Oeiras!

Parque Urbano Miraflores 5

E na saída encontro esta pequena ciclovia que julguei seguir para Algés, mas pouco mais metros tem...

Ciclovia em Miraflores

Descendo a Avenida dos Bombeiros Voluntários, já perto da rotunda de Algés encontro este caos automobilístico: carros quase parados querendo romper caminho para a rotunda, carros mal estacionados no centro da Avenida, por cima de todos os passeios para peões, em segunda fila, uma autentica selvajaria automobilística! É um País só para automóveis, tudo o resto que tenha menos que 4 rodas, não tem direitos nenhuns, incluindo a merda dos peões que só atrapalham.
Mas deliciei-me fazendo zigue-zagues por aqui fora e ainda encontrei 3 ciclistas do sexo oposto passeando, o que é sempre interessante.

Caos em Algés

Achei engraçado encontrar esta varanda transformada em estacionamento para binas! Uma bina pode ficar estacionada em qualquer lugar :)

Não tendo estacionamento, na varanda tambem serve...

E eis que chego a Algés, sem grande esforço, até porque foi quase sempre a descer. Mesmo parando várias vezes por várias razões, demorei apenas 45 minutos a chegar aqui.

Alges

Passei para o outro lado da linha do comboio e segui em direção a Belém. Não pude deixar de prestar homenagem àqueles que morreram nas lutas no Ultramar, lutando por Portugal. Já reparam na enorme quantidade de mortes desnecessárias devido à teimosia de Salazar?

Monumento aos Combatentes do Ultramar

Até me sentia um turista aproveitando a boa temperatura e o solinho que que se mostrava, tal como a miríade de "camones" que por ali circulavam. Aqui fica umas fotos dum dos ex-libris de Portugal.

Torre de Belém

Torre de Belém, miniatura

Avancei depois para outro monumento, o dos Descobrimentos, onde se tem uma bela vista do Mosteiro dos Jerónimos. Tal como a imagem do Rio Tejo, sempre belo.

Mosteiro dos Jerónimos

Rio Tejo em Belém

Após a antiga FIL, tirei esta foto à Ponte 25 de Abril, apanhando o Cristo Rei ao fundo. Acho bem bonito, ainda por cima fui eu que a tirei....

Ponte 25 Abril

E lá continuei a voltinha, agora em direção ao Cais do Sodré e ao Terreiro do Paço. Gosto de andar por ali, que se há-de fazer? Lá colocaram a iluminação natalícia do costume, muita gente às compras, turistas a tirarem fotos a tudo o que mexe ou que esteja parado.

Rua Augusta

Subi por esta avenida até ao Rossio, devagar para não atropelar esta mole de gente que parecia desesperada para gastar o 13º mes em compras para o Natal.
Passei por este condutor que acabou por manifestar-me o desejo de poder largar aquela carroça fumarenta e ter uma bina como a minha para andar pela cidade. Via-se que estava farto de se arrastar pela baixa com todo aquele transito. Deixei-o parado ali e continuei com a minha volta, agora em direção à Avenida da Liberdade.

IMAGE_151

Chegando ao Rock Cafe no antigo Condes, encontro este belo espectáculo:

Parque Estacionamento Restauradores

Os carros parados para conseguirem entrar no parque estacionamento subterrâneo dos Restauradores, até estava um funcionário no fim da fila afastando todos os automobilistas para não tentarem entrar. Além de ser bastante difícil circular de carro pela Baixa, nem lugares havia para estacionar. Uma autentica dor de cabeça para os automobilistas que resolveram ir pra ali fazer compras. Bem feito para eles! Reparem como eu estacionei o meu bólido:

Minha bina

Complicado, não é? Veneno injectado e lá segui para casa indo pela Augusto Aguiar e Benfica. Cá vai o mapa do percurso com 30 Km.


4 comentários:

Bruno disse...

Boa volta e boa cobertura fotográfica! :-)

Cheers!

anabananasplit disse...

Pois, as varandas costumam ser transformadas em parqueamoento de bikes em apartamentos. Coitadas, ali ao frio, à chuva, ao sol. :-P Eu guardo as minhas dentro de casa. Pronto, ok, é uma moradia, mas mesmo assim, seria incapaz de deixá-las a apodrecer assim lá fora, sem uma mantita a tapá-las nem nada. :-P

RedTuxer disse...

Mas sei de pessoas que não tem binas porque não tem mesmo sitio onde as deixar! Um carro sempre pode ficar lá fora, mas uma bicicleta ganha asas, como o Redbull...

Renato disse...

Que fotos sensacionais. A continuar deste modo e logo estarei apaixonado por esta bela cidade.